Frentista
FENEPOSPETRO LAMENTA E COBRA RESPONSABILIZAÇÃO PELA MORTE DE FRENTISTA EM SP
sem imagem

A Fenepospetro lamenta a morte do frentista Odair Loureiro Muchon, de 66 anos, na quinta (25) durante desempenho de sua função. O trabalhador foi arrastado por um caminhão que deixava o posto de gasolina, no bairro da Mooca, Zona Leste de São Paulo.

Segundo o Sinpospetro-SP – Sindicato dos Frentistas de SP, o companheiro Odair tentou impedir que o caminhoneiro saísse sem pagar após abastecer o veículo no Autoposto TKT, localizado na Mooca, Zona Leste. O caso ocorreu quinta-feira (25) e o condutor fugiu do local.

O caminhoneiro tentou pagar a conta com um cartão de crédito sem validade. Ele arrancou o veículo, mas Odair tentou impedir a fuga e se agarrou na porta do caminhão.

O frentista, com 20 anos de casa, foi arrastado e depois atropelado. Câmera de segurança gravou o momento em que o condutor acelera e derruba o trabalhador, que tenta se segurar na porta do caminhão, mas, infelizmente, cai na via e é atropelado. Ele foi encontrado morto no final da rua.

Segundo o presidente do Sinpospetro-SP, Rivaldo Morais da Silva, a entidade está acompanhando o caso, dará todo o suporte à família da vítima e assistência jurídica e psicológica. “Vamos ficar em cima do posto para garantir que todos os direitos do companheiro sejam repassados à família”, explicou Rivaldo da Silva.

Presidente da Fenepospetro, Eusébio Pinto Neto, lamenta o ocorrido e orienta que trabalhadores não reajam em caso de evasão para o não pagamento do valor do combustível. “Alguns trabalhadores tentam impedir porque donos de postos querem descontar esse valor dos frentistas. Nesse caso, orientamos que o funcionário procure o Sindicato”, alerta o dirigente.

Eusébio afirma que não é a primeira vez que isso acontece. “Cobramos a devida investigação com a punição do responsável”, afirma.

Por Gisele A. 27 de maio de 2023

          

[+] Veja mais noticias              Voltar para página inicial